Coimbra inaugura evento Coppe em cinco décadas

Em um encontro emocionante, marcado pela presença de professores, funcionários e alunos de diferentes gerações, desde os anos 1960, a Coppe/UFRJ inaugurou, dia 21 de maio, o evento “Coppe em cinco décadas: a arte de antecipar o futuro”. Aos 91 anos, o professor Alberto Luiz Coimbra, fundador da instituição e homenageado do dia, encantou os presentes pela sua abordagem lúcida e clara em relação á política adotada no país nas áreas de Educação e de Ciência e Tecnologia. “Valeu a pena ter vivido tanto tempo para ter esse reconhecimento em vida”, agradeceu Coimbra em seu discurso.

 

No evento foi lançada a revista “Engenharia e inovação”, que conta a história da Coppe e suas principais contribuições no ensino, na pesquisa e no desenvolvimento do país. A publicação foi editada pelas jornalistas Dominique Ribeiro e Terezinha Costa, com redação das jornalistas Anabela Paiva e Claudia Costa. O projeto gráfico é da Traço Design.

 

Também foi lançado o livro “Mecânica dos fluidos”, de autoria do professor Coimbra, que foi escrito no início dos anos 1960 para suprir a carência de obras sobre temas de engenharia escritos em língua portuguesa. O livro foi editado e revisado pelos professores da Coppe Luiz Bevilacqua (Programa de Engenharia Civil), Juliana Loureiro, Fernando Pereira Duda e Daniel Onofre de Almeida Cruz  (Programa de Engenharia Mecânica), com prefácio do professor Átila Freire (Programa de Engenharia Mecânica) . O projeto gráfico é da E-papers.

 

Foi inaugurada, ainda, a exposição “Coppe em cinco décadas”, que por meio de depoimentos, vídeos e reportagens de jornais e TV retratam a trajetória da Coppe e seus principais marcos ao longo dos últimos 50 anos.

 

Antes da sessão de autógrafos, Coimbra falou sobre a criação da Coppe para o público que lotou o hall do prédio da Coppe, instituição que hoje leva seu nome. ”Naquela época – décadas de 1950 e 60 – falava-se muito em reformar o sistema universitário. Eram realizadas reuniões e mais reuniões de reitores e representantes do Ministério da Educação. Na realidade, a Coppe promoveu uma reforma com grande coragem e grande ajuda do então BNDE. E o Brasil lucrou muito com isso”, relatou o professor, que, comovido, disse estar “muito feliz”, com as homenagens recebidas.

 

Durante a cerimônia Coimbra autografou mais de 200 exemplares do livro “Mecânica dos Fluidos”, escrito nos anos 1960, a partir de apontamentos feitos pelo professor para estimular seus alunos no gosto pela matemática e pela engenharia e suprir a carência de material didático.  A apostila original se encontra na Biblioteca de Obras Raras, do Centro de Tecnologia. Foi graças a esse original que a obra pode ser revisada e publicada. A partir da primeira semana de junho, sua versão digital estará disponível para todos os interessados no site da editora <a href=http://www.e-papers.com.br>E-papers</a>   e no site da <a href=http://www.coppe.ufrj.br>Coppe</a>

 

 “É com alegria que inauguramos esse evento, no qual resgatamos parte da história da Coppe, essa história de sucesso, da qual temos grande orgulho e queremos compartilhar com todos, alunos, professores e funcionários”, disse o vice-diretor da Coppe, professor Edson Watanabe, ao abrir o evento.

 

Em seguida, o diretor de Engenharias, Ciências Exatas, Humanas e Sociais, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Guilherme Sales Melo, entregou a Coimbra o certificado de Pesquisador Emérito do CNPq, “em reconhecimento à sua relevante contribuição científica e acadêmica”.

 

O diretor da Coppe, professor Luiz Pinguelli Rosa, exaltou a personalidade do homenageado, recordando a atuação do professor Coimbra durante os “anos de chumbo”, quando o mesmo convidou para lecionar na Coppe o professor Plínio Sussekind Rocha. “Como vários professores importantes desta universidade, Sussekind foi atingido pelo AI-5 (Ato Institucional, promulgado pelo presidente Costa e Silva, em 1968). Foi afastado da universidade e como tinha problemas de saúde não pode atender a um convite para lecionar na França. Coimbra, com sua generosidade e coragem, o convidou para dar aulas na Coppe e aqui ficou por algum tempo até que as autoridades o obrigaram a sair mais uma vez. Esse episódio retrata como era sua personalidade. Acima de tudo a Ciência e por ela até desafiar autoridades militares da época da ditadura”, relembrou Pinguelli.

 

Reencontros e emoção

Coimbra reencontrou no evento colegas que o acompanharam na ação pioneira de criação da pós-graduação em Engenharia no Brasil e aqueles que mantiveram e expandiram o seu legado, mantendo os princípios essenciais.  No decorrer de cinco décadas, a Coppe tornou-se o maior centro de ensino e pesquisa de engenharia da América do sul, referência de  excelência no ensino, pesquisa e inovação. Dentre eles, estavam os professores Jacques de Medina, responsável pela organização da área de Geotecnia do Programa de Engenharia Civil; Carlos Augusto Perlingeiro, que foi aluno da primeira turma de pós-graduação em Engenharia Química e mais tarde coordenador do Programa de Engenharia Química da Coppe; Acher Mossé, o primeiro coordenador da Fundação Coppetec entre outros.

 

A professora Angela Uller, chefe de gabinete da Reitoria e ex-diretora da Coppe, representou o Reitor Carlos Levi. O professor Roberto Leher, recém-eleito pela comunidade da UFRJ para suceder o atual reitor, também compareceu e prestigiou o evento. Também estiveram presentes ao evento os ex-diretores da Coppe, Sandoval Carneiro Jr, Luiz Fernando Legey, Segen Estefen e Paulo Alcântara, bem como os atuais diretores de Assuntos Acadêmicos (professor Fernando Rochinha) e de Tecnologia e Inovação (professor Romildo Toledo); autoridades de instituições públicas de ensino e pesquisa; diretores e professores de diversas unidades acadêmicas da UFRJ; representantes dos patrocinadores do evento e também de empresas parceiras da Coppe.

 

A exposição “Coppe em cinco décadas” ficará aberta ao público, de 21 de maio a 31 de julho, no Espaço de Arte da Coppe, no hall de entrada do prédio onde funciona a sede da instituição, no Centro de Tecnologia 2 (CT 2) da UFRJ, na Cidade Universitária. A mostra poderá ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas. A entrada é franca.

Confira os depoimentos de algumas autoridades presentes

Alberto Luiz Coimbra

Sobre o livro “Dinâmica dos fluidos”

“Eu procurava caprichar na preparação das aulas para ajudar os alunos. Estou muito feliz, pois não imaginava que um dia o livro com aquelas notas seria reeditado. Na verdade, eu nem lembrava mais daquelas anotações”.

 

Sobre a Coppe

“Sinto-me extremamente feliz em ver a continuidade das atividades que iniciamos em 1963. Foi uma satisfação ver o projeto dar certo e ver a pós-graduação se espalhar pelo país.”.

 

Sobre as dificuldades do início

“No primeiro ano de atividade do curso de mestrado em engenharia química a grande dificuldade era a falta de recursos. No ano seguinte, a coisa melhorou, pois o BNDE entrou para nos ajudar. Mas não foi tão simples. Tivemos que disputar os recursos com a graduação, que também estava buscando recursos. Mas acabamos sendo escolhidos pelo BNDE. Ganhamos a disputa e os recursos foram destinados à pós-graduação”. 

Veja nosso vídeo institucional